Brasileiros ocupam as ruas e protestos ganham o mundo

ocupaçãocongresso

O povo ocupa o Congresso Nacional, em Brasília
Foto: Mídia Ninja

Começaram como uma negativa ao aumento das passagens de ônibus e agora expressam um descontentamento muito maior. Os protestos que se desenrolam no Brasil também refletem a incapacidade de grande parte da população arcar com preços cada vez mais altos. Denunciam a precariedade de um transporte público que, em vez de melhorar, fica pior e mais caro. E joga os holofotes em um problema do qual os pobres no Brasil são vítimas constantes: a truculência policial.

Em São Paulo, manifestantes ocupam a Marginal Pinheiros

Em São Paulo, manifestantes ocupam a Marginal Pinheiros
Foto: Mídia Ninja

Em São Paulo, a maior cidade do país, o “Movimento Passe Livre” já organizou cinco manifestações, que receberam adesão massiva da população. E agora o descontentamento geral dos brasileiros e a reação contra a violência policial ganharam o mundo. Das redes sociais nasceu o grupo “Democracia não tem Fronteiras”, que tem alinhavado manifestações em todo mundo. Com a ajuda deste movimento, cidadãos de vários países estão se solidarizando com os manifestantes que foram às ruas no Brasil nos últimos dias. Na Espanha, por exemplo, as passeatas ocorrem em Barcelona, La Coruña, Valencia e Madrid. Portugal também se tinge de verde e amarelo, com protestos em Coimbra, Lisboa e Porto.

100 mil pessoas vão para as ruas no Rio de Janeiro

100 mil pessoas vão às ruas no Rio de Janeiro

Tradicionalmente avesso a manifestações nas ruas, o povo brasileiro nos últimos dias rompeu outro paradigma: ricos e pobres estiveram juntos, defendendo o mesmo pleito: o “não” ao aumento nas passagens de ônibus e metrô, que em São Paulo sobe de R$ 3,00 para R$ 3,20. Mas não se trata de 20 centavos. Este foi o estopim de uma insatisfação generalizada dos brasileiros, começando com a precária infraestrutura do país, que recebe desde já eventos esportivos de projeção internacional.

PARA OUVIR A REPORTAGEM COMPLETA EMITIDA PELA RNE/ RADIO EXTERIOR DE ESPAÑA (Minuto 3’23”), CLIQUE PLAY

 

 

semfronteirassemidade

Sem fronteiras, sem idade.
Foto: Tiago Queiroz, Estadão

 

 

2