Espanha retrocede 30 anos com nova lei de aborto

aborto_maniA mesma Espanha assolada por uma crise econômica sem precedentes está retrocedendo em assuntos que, constitucionalmente, já haviam sido solucionados há anos. O ministro da Justiça, Alberto Ruiz-Gallardón, quer anular a lei que permite o aborto livre até a 14ª semana de gestação, vigente desde 2010.

A lei que quer aprovar será ainda mais rigorosa que a anterior, aprovada em 1985. Aquela lei punia o aborto em caso de violação, de problemas físicos ou psíquicos do feto ou perigo para a vida da mãe.

Agora, Gallardón quer penalizar até os abortos em caso de má formação do feto. Para o ministro, o aborto “não é um direito da mulher, é uma tragédia”. Para entender a complexidade deste problema, escute a reportagem emitida pela Radio Nacional de España/ Radio Exterior de España (minuto 13’44”).

PLAY

 

0