Marea Granate: protesto e indignação além das fronteiras ibéricas

mareagranateNo nos vamos, no echan”. A frase expressa um sentimento comum a muitos espanhois que tiveram de emigrar para fugir do desemprego na Espanha, que já encosta nos 30% da população e supera os 50% no caso de jovens de até de 25 anos.

Na busca por trabalho, milhares de profissionais qualificados deixaram a Espanha rumo a países que lhes ofereçam melhores perspectivas de trabalho. Eles fizeram as malas, mas continuam atentos ao desenrolar da economia e da política espanhola. E já começaram a fazer barulho para serem ouvidos fora das fronteiras ibéricas.

Agora, eles formam a “Marea Granate”, em português “maré grená”, em referência à cor dos passaportes europeus. O movimento começou em maio no Reino Unido e se estendeu como rastilho de pólvora entre comunidades de espanhois instalados no mundo todo, em quase todos os continentes.

Nesta reportagem apurada para a RNE/ Radio Exterior de España, conto mais detalhes sobre o movimento a partir do minuto 3’27 (reportagem). A introdução começa no 2’38”.

PLAY

 

3