“Pueblo” luta para tirar ultracatólicos do poder

Quase 95% da população de Garínoain vota em branco, mas mesmo assim partido de extrema direita ocupa o poder

Quase 95% da população de Garínoain vota em branco, mas mesmo assim partido de extrema direita ocupa o poder

A rebelião do povo contra seus governantes é tema recorrente nas artes. Um exemplo é a peça teatral “Fuente Ovejuna”, do século 17, na qual o espanhol Lope de Vega retratou a união popular contra os abusos de poder do comendador. Mas às vezes a realidade parece superar a ficcão. É o que acontece em Garínoain, povoado de Navarra com pouco mais de 500 habitantes. A população de Garínoain se organiza para destituir um prefeito que recebeu apenas 5,6% dos votos nas últimas eleições.

O problema é que quase 95% dos cidadãos votaram em branco para tentar rechaçar o partido ultracatólico “Derecha Navarra Española”. O DNE defende a prisão perpétua, é contra o aborto e o casamento homossexual e apoia um controle exaustivo da imigração. A população não se sente representada e pede o impeachment do prefeito do DNE.

Neste caso, o partido se aproveitou de uma brecha legal, mas os radicais, sejam eles de direita ou de esquerda, têm recebido cada vez mais adeptos na Espanha e no resto da Europa. A Grécia, que sofreu tanto com a ocupação nazista, tem agora um governo neonazista. Reflexo da crise? Nesta reportagem elaborada para a RNE/ Radio Exterior de España, tento encontrar a resposta junto a especialistas na matéria.

PLAY
0